76% já sacaram o saldo das contas inativas do FGTS

R$ 15 bilhões já foram pagos pela CAIXA, 83% do valor total de R$ 18,1 bi previsto até a segunda fase

Em balanço divulgado nesta quinta-feira (20), a Caixa Econômica Federal informa que já pagou, até o dia 19 de abril, R$ 15,1 bilhões para 9,5 milhões de trabalhadores nascidos entre janeiro e maio beneficiados pela MP 763/2016, que liberou o saque de contas inativas do FGTS com data fim do contrato de trabalho até 31 de dezembro de 2015.

O número de trabalhadores que já sacaram os recursos das contas do Fundo referente à MP 763/2016 superou 9,5 milhões e representa 76% das 12,5 milhões de pessoas nascidas no período com direito a sacar as contas inativas.
O valor pago na primeira e segunda fase equivale a 83,2% do total inicialmente previsto (R$ 18,1 bilhões) para as duas fases.

Das 16,6 milhões de contas inativas pagas, o crédito em conta CAIXA foi a opção que mais atraiu os trabalhadores. Cerca de 7 milhões de contas foram creditadas nessa modalidade. Essa opção de pagamento foi realizada de forma automática para titulares de conta poupança individual e para correntistas ou titulares de conta poupança conjunta que manifestaram o interesse em receber dessa forma, sempre no primeiro dia de abertura do respectivo calendário.

Apenas na Região Sudeste, que concentra o maior número de trabalhadores, foram pagos R$ 9,43 bilhões, sendo R$ 6,28 bilhões no estado de São Paulo. Juntas, as demais regiões somaram R$ 5,7 bilhões pagos até esta quarta-feira (19).

O cronograma ainda prevê mais três fases de pagamento, lembrando que todas permanecem com o prazo final de saque até 31 de julho. A partir de 12 de maio, será a vez dos trabalhadores nascidos em junho, julho e agosto terem acesso ao saldo das contas. Em 16 de junho, o calendário abre para os aniversariantes de setembro, outubro e novembro. Finalmente, em 14 de julho, inicia a última fase de pagamento, a dos nascidos em dezembro. A MP 763/216 beneficia 30,2 milhões de trabalhadores, com saldo total de R$ 43,6 bilhões.

 

Prêmio melhores práticas Caixa em gestão local abre inscrições

10ª edição do Prêmio reconhece projetos de sustentabilidade apoiados pelo banco que tenham provocado impacto em comunidades.

As inscrições para o Prêmio Melhores Práticas Caixa em Gestão Local 2017/2018 estão abertas a partir desta segunda-feira (10) até o dia 19 de junho. A premiação, que este ano chega à sua 10ª edição, é uma ação de reconhecimento de projetos sustentáveis financiados pelo banco que tenham provocado impacto na qualidade de vida nas comunidades em que atuam.

De acordo com a coordenadora nacional do Prêmio, Fernanda Teodoro Pontes, ao selecionar e premiar as melhores práticas, é possível reconhecer e compartilhar experiências que transformam realidades. “A premiação permite que, a cada dois anos, possamos oferecer novas soluções com resultados efetivos à população”, disse a gerente executiva da Gerência Nacional de Planejamento e Desempenho de Redes Governo da CAIXA. “Ao selecionar as Melhores Práticas, temos a oportunidade de reconhecer e compartilhar, por meio da reaplicação, experiências que transformaram realidades”.

O Prêmio objetiva reconhecer e dar visibilidade a projetos de excelência no âmbito social realizados com apoio financeiro e técnico da CAIXA. Os projetos ganhadores são premiados com troféus, certificados, divulgação em publicações, filmes e exposições fotográficas, além de serem inscritos em premiações nacionais e internacionais, como o Prêmio Internacional de Dubai, promovido pelo Best Practices and Local Leadership Programme.

O projeto Águas do Céu foi uma das vinte ações premiadas na última edição do Prêmio Melhores Práticas, 2015/2016, que teve o total de 250 inscritos. Coordenado pelo Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá, o projeto foi responsável por assentar famílias em áreas próximas a nascentes e florestas nos municípios de Sirinhaém e Rio Formoso, no litoral de Pernambuco. Com isso, recuperou nascentes degradadas, implantou sistemas agroflorestais e gerou renda para a comunidade.

As principais metas do projeto eram o reflorestamento de 24 nascentes na Zona da Mata que se encontravam com baixa ou nenhuma atividade, a sensibilização comunitária, o treinamento de jovens e a disseminação do conceito de sustentabilidade. A iniciativa promoveu a sensibilização e o envolvimento da comunidade, resultando em melhorias na qualidade de vida, no meio ambiente e no comércio local, a partir da venda de frutas e produtos derivados produzidos na região.

Como se inscrever
Para se inscrever, o projeto precisa ser financiado pela CAIXA ou ter o banco como agente operador. Também é necessário que o projeto demonstre haver cooperação entre instituições públicas, privadas e da sociedade civil para a concretização dos objetivos pretendidos.

Podem ser inscritas práticas de gestão local em temas como Gestão Municipal, Habitação, Saneamento, Infraestrutura, Gestão Ambiental, Inclusão Social, Redução da Pobreza, Geração de Renda, Desenvolvimento Econômico, Equidade de Gênero e Mobilidade Urbana.

O projeto não pode ter sido vencedor em nenhuma das edições anteriores do Prêmio e deve apresentar evidências tangíveis e resultados concretos.

Saiba mais no site Melhores Práticas Caixa

Febralot atua com a frente parlamentar

A Febralot esteve atuando intensamente, desde o retorno de recesso parlamentar junto à classe política, a fim de encontrar apoio e alternativas para tirar a Categoria do processo falimentar em que se encontra.

O consenso atual é de que o caminho é uma mudança no modelo de remuneração dos empresários lotéricos, que se entende, só será possível através de nova legislação. Após muitos estudos e reuniões com os parlamentares chegou-se a um modelo de texto para um Projeto de Lei de autoria dos deputados Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR) e Antônio Goulart (PSD/SP) – presidente da Frente Parlamentar em Apoio aos Lotéricos, que hoje, protocolado na Câmara, segue abaixo em primeira mão:

 

 

O Projeto de Lei acima, será apresentado a todos os deputados que participarão da reunião de amanhã 05/04 da Frente Parlamentar com a Febralot e, deve contar com o empenho dos parlamentares em sua aprovação. O próximo passo é conseguir agendar uma audiência pública para conquistar maior apoio ao Projeto. Neste processo será necessária a participação de toda a Rede Lotérica que, assim como foi na aprovação da Lei dos Lotéricos possa comparecer em massa na audiência e façam todos os contatos possíveis com seus deputados representantes solicitando o apoio.

A Febralot e o deputado Antônio Goulart já protocolaram o pedido de audiência pública para a data de 23 de maio que é na Semana do Lotérico, quando os detalhes do Projeto de Lei já estarão discutidos e amadurecidos o suficiente para um trabalho na Câmara. Esta data, entretanto, ainda aguarda confirmação oficial.

A Federação poderá, a critério dos sindicatos estaduais, realizar reuniões regionais para esclarecer para a Rede Lotérica, detalhes deste Projeto de Lei.

A Febralot acredita que com este Projeto aprovado haverá uma solução definitiva para a questão da remuneração da Classe.

ESTE É O MOMENTO PARA QUE A UNIÃO DA REDE LOTÉRICA SE ESTABELEÇA, SEM DIVERGÊNCIAS POLÍTICAS, REGIONAIS E PESSOAIS PARA QUE OS EMPRESÁRIOS LOTÉRICOS MOSTREM A FORÇA DA MUDANÇA DE QUE SÃO CAPAZES DE REALIZAR.